Atitude do Pensar

Atitude do Pensar

terça-feira, 31 de maio de 2011

Construção

Sou sonhos e esperanças. Interrogações, vírgulas e eticeteras. Às vezes, Amelie. Érica. Alice. Sou criança dançando na chuva. Algodão doce na praça. Andar de mãos dadas. Sou diversidade. Respeito entrelaçado ao amor. Negra de alma e branca por imposição genética. Sou abraços (mais do que beijos). Trilhas e mais trilhas musicais. Sou mousse de limão. Sorvete. Pirulito. Batata frita com pimenta. Cerveja. Pão de queijo. Milk Shake de Nuttela. Café. Jujubas. Sou o ronronar de uma gata. O farejar de um cachorro. Animal. Sou banho de mangueira. Dormir na rede. Suspiros. Sou Lua cheia. Noite estrelada. Céu de maio. Montanhas e praias. Sou o friozinho do inverno. O sol do verão. A reflexão do outono. As flores da primavera. Sou girassóis e margaridas. Lírios e ipês. Sou porta. Janelas. Caminhos. Caçadora. Despedida. Sou contradições. Recomeço. Reinventar. Soma da minha infância, mas reflexo das minhas escolhas. Sou mutante. Estranha nessa terra. Sou Clarice. Drumond. Caio. Luft. Huxley. Lewis. E claro, Dostoiévski. Sou culturas distantes geograficamente, mas residentes de minhas entranhas. Sou Medo. Sorriso. Manias. Lágrimas e tristezas. Sou melancolia. Breu. Amizade. Orgulho. Paz. Sou ímpar. Vermelho. Dieta. Roda Gigante. Domigo no parque. Nietzche. Sócrates. Filosofia. Sociologia, mas principalmente antropologia. Sou Chopin. Mozart. Beethoven. Sou ringue. Perdão. Dança. Teatro. Filme. Música. Paixão. Sou preguiça pela manhã. Cama. Carinho. Tesão. Sou anos 70, mas nasci nos 80. Sou relações sociais. Louca. Lúcida. Chico Buarque e Maria Bethânia. Beatles. Adele. Maysa. Samba canção. Jazz. Blues. Beijo roubado. Sou infinito. Indivíduo. Grito. Coletivo. Silêncio. Sou a tristeza de uma tarde de domingo e a alegria de uma sexta-feira. Idas e vindas. Sou saudade. Alma. Entrega. Renúncia. Tentativas. Sim. Não. Fracassos e conquistas. Sou corpo. Sangue. Sentires. Quereres. Dores. Amores. Sou marcas. Lembranças. Toque. Cheiro. Olhos. Fome. Sede. Sou humana. Mulher. Várias manifestações de mim. Sou. Sendo. Construindo e recontruindo.

15 comentários:

  1. Ta falando de você..mas como conseguiu descrever a mim?...kkkk

    Esperando pra um café e pão de queijo =)

    beeeeijo Keila

    ResponderExcluir
  2. adoro esses escritos, mas acho que nunca vou conseguir falar assim de mim…rs

    ResponderExcluir
  3. CLAP<CLAP<CLAP!!!!
    BIS<BIS<BIS!!!
    Agora vc surge de trás da cortina e faz nova reverencia agradecendo o estouro dos aplausos.
    Boa semana,bela,
    bjka

    ResponderExcluir
  4. adoro o seu modo de escrita, e realmente nós podemos ser muito um um só!
    beijinhos colloridos

    ResponderExcluir
  5. Meu tipo de post \o/, depois me pergunta que te dou o link do meu (faz tempo, antes de começarmos a nos frequentar e começa assim: concordo com maiakoviski, melhor morrer de vodka que de tédio...)
    bj

    ResponderExcluir
  6. Que lindos pedacinhos de ti, Adorei!Gosto muito de te ler! beijos,chica

    ResponderExcluir
  7. Quase ninguém sabe se "descrever", uma falta de auto conhecimento impera por aí. Por isso mesmo achei o máximo cada detalhe que deu, uma habilidade com as palavras só tua mesmo, Keila.

    Um dia iluminado pra tu,

    ResponderExcluir
  8. Quase me vi ali em certos dizeres. Não sei. As vezes sou neblina, sem cor, espessa, densa... Mas as vezes sou manhã de sol chegando devegar pelas laterais e abraçando o horizonte em vermelhos tons.
    No momento sou outra e não está que se viu ali nas suas palavras, mas isso é tão complicado de explicar. rs


    bacio

    ResponderExcluir
  9. Oi, amei seu post. Tbm acho que se é muitos. Que o "eu" não é unico, singular, retílineo. O eu é plural e multifatorial.

    ---

    Respondendo o seu comentário: estou morando em BH. Gosto muito daqui não, mas vou indo. Adaptando.

    No meu blog, a maioria dos textos são meus. Pode olhar pelos marcadores. O texto que mais gosto chama "Bom Canalha" e o poema que mais gosto chama "Lirismo". Estão no blog. Se te interessar depois te mando os links direto.

    Senti um convite no ar, café ou cerveja? (ah, sou mais cerveja);]

    ResponderExcluir
  10. Uau!!!! Essa é você????
    Mulher extremamente interessante... Como alguém pode não querer estar perto de uma pessoa assim???

    Até eu gostaria de conhecer esta profusão de mulher saindo pelos poros!!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Keila,
    Primeiro a comida, depois os elementos, as flores, os literatos, os pensadores, os compositores, músicos... Tudo isso dentro de você! Não é de admirar que você goste de Milk Shake de Nuttela. Essa mistura que te faz, encanta todos que te leem (percebo isso nos comentários mil). Abraços e um lindo quase fim de semana.

    ResponderExcluir
  12. É gente , com coragem de o ser !

    Abraço

    Eu sou Maria , lilazdavioleta .

    ResponderExcluir
  13. Puxa! Que texto, deixa eu respirar... Bravo!

    ResponderExcluir
  14. Re, quando você leu eu estava começando a escrevê-lo, mas a ideia central já havia. XD
    Olha, no frio que está por aqui a dica é pão de queijo recheado com berinjela e chocolate quente. Fica o convite!

    Long Haired, há certas coisas em mim que são tão óbvias que falar delas torna-se também....rsrs

    Emi, linda!!!
    Fiquei vermelha por aqui.
    Cheiros.

    Isso mesmo Faby, como disse, sou várias de mim...hehe

    Lu, eu lembro desse post, já te visitava naquela época. Tenho uma querida amiga (ex professora) que gosta muito de Maiakoviski, quando me deparei com ele lá te quis ainda mais aqui dentro. Partilho do que ele diz: Melhor vodca do que tédio (tem até o meu k)...hehe

    Chica, são pedacinhos de uma pizza com sabores que vai do levemente adocicado, ao meio amargoso e claro, o azedo de uma deliciosa mousse...hehe
    Bju, querida.

    Oi, Ani. Se a vida é feita de momentos eu sou feita de pedaços...srrs

    Cris, me descobri aos 21 anos, e depois disso tem sido uma infinda descoberta.
    Um beijo

    Fiquei curiosa sobre essa outra Lunna. Quando penso sobre o ser não consigo deixar de associar ao espelho. Será que nos refletimos um no outro, ou não?
    Abraços

    Heat, sou várias, mas em todas tem algo em comum. Alguma base mais sólida, quem sabe valores.
    Não sou de Bh, mas amo esse lugar. E olha que já passei por várias cidades, mas sei da fase de adaptação: é um saco. Custei a me adaptar (foram duas vezes, pois me mudei para cá aos 11 e depois voltei das andanças retornei aos 22).
    Vou dar uma olhada nos textos lá. É um convite sim, pode ser café e cerveja. Por que não os dois? hehe

    Suzi, que amável seu comentário. Olha, talvez eu seja tanta coisa que em geral as pessoas não dão conta d etantas...hehe
    Quando você vem???

    Maria, coragem de ser eu tenho, mas o medo de permanecer sendo é que me atormenta.
    Um beijo

    Poxa, valeu pelo elogio, Nicolau.

    ResponderExcluir