Atitude do Pensar

Atitude do Pensar

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Nascerá

Uma multidão de letrinhas habitando minha mente, como um furacão que vai surgindo, se misturando, se perdendo e consumindo tudo ao seu redor. Uma a uma jorrando em meu colo, rolando braços, barriga, pernas...Os poros perdem o equilibrio, a transpiração revela-se intensa. Eis a esquizofrenia dessa sexta-feira. Reflexos de uma filosofia de segunda, mas que ainda não pussui força suficiente para me tornar indiferente. Palavras que nascem de um sentido, sem formarem teorias. Quereres que transpassaram a noite, trazendo armas, vozes e medo. Dialogando acerca de um falso sossego...Porém há um abrigo, e este é seu abraço, seu beijo, sua voz acalentando-me...As letrinhas criam palavras, e as palavras frases, e as frases dias, semanas, estradas, viagens e estações...e alguns humanos vão pra nunca mais voltar, mas há os como nós, vivendo em dias de eterno vai e vem. Desenhando seu destino, colorindo o caminho... E o furacão? É consumido pelo nosso encontro.

19 comentários:

  1. Bonito texto, amiga Laura. Gostei.
    Um grande abraço e um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. é mesmo um misterio isso de cada dia ser unico, cada momento diferente, nada pode ser igual mesmo que volte...

    ResponderExcluir
  3. Tão bom quando em meio aos turbilhões encontramos esse abrigo amigo...Lindo!beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. Sera que haverá dias menos turbulentos? Espero que não.Esse caos tem sua recompensa. Tchau.

    ResponderExcluir
  5. Muito bonito seu texto. Escreves lindamente!

    Beijos, querida. Au revoir.

    ResponderExcluir
  6. Suas palavras se casam tão bem. =D

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. “... Porém há um abrigo, e este é seu abraço, seu beijo, sua voz acalentando-me...”. Então, seja o que for, com ida e vindas, se você ainda encontra abrigo é porque vale a pena!

    Obrigada pelo belo texto!
    http://pequenocaminho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Eu juro que há certos mistérios que não me tocam e eles ficam lá, mantendo a distância das coisas, como se entre mim e eles houvesse uma avenida e não há como atravessar. rs

    bacio

    ResponderExcluir
  9. Encontros e despedidas.
    Ouvi esses dias.

    Diz quem fica.

    ResponderExcluir
  10. quero o abrigo.
    Otimo texto!

    beijos

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde!

    Esta é a mensagem de Deus para você neste fim de semana:

    "Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca. Eis que estás gravada na palma de minhas mãos". (Isaías 49:15 e 16a)

    Que o seu dia dos pais seja repleto do amor do maior de todos os Pais!

    http://www.youtube.com/watch?v=psbf6yPiZZA

    Deus seja contigo.

    Blog Yehi Or!
    http://hajalluz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Esse é um lindo texto.As letrinhas criam palavras, e as palavras frases, e as frases dias, semanas, estradas, viagens e estações...e alguns humanos vão pra nunca mais voltar, mas há os como nós, vivendo em dias de eterno vai e vem.Adorei conhecer seu blog, e estarei te seguindo, venha conhecer meu blog e siga-me se gostares.
    Desejo um ótimo final de semana cheio de muitas coisas abençoadas e muito feliz.
    Beijos !
    Smareis

    ResponderExcluir
  13. Muito bonito.
    Me supreendi com o destino do furacão, rs.
    Seu texto me causou felicidade ^^

    Abraço. Boa semana.

    ResponderExcluir
  14. encontro de letrinhas, que são sentidos sentindo o afeto que nos afeta: amar o impossivel,
    a delicadeza maravilhosa que jorra-mel de cada letra se sua pétala.
    b
    l

    ResponderExcluir
  15. Tão bom quando sabmos que o mundo pode desabar que teremos abrigo... Você é linda!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  16. E que venham furacoes, mas um abraco sincero junto.

    Bj

    ResponderExcluir
  17. Que esta minha paz e este meu amado silêncio
    Não iludam a ninguém
    Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta
    Nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios
    Acho-me relativamente feliz
    Porque nada de exterior me acontece...
    Mas,
    Em mim, na minha alma,
    Pressinto que vou ter um terremoto!
    Obrigada pela participação e vistas!

    Um convite carinhoso a conhecer minha pequena biblioteca, encontra-se neste endereço http://www.bookess.com/profile/adrianasph/books/
    Todos sem frete, adquirindo um, escolha outro como brinde e mimo meu para você, basta me enviar um email
    Adriana!

    ResponderExcluir
  18. Dilmar, obrigada. Mas é Keila, ok.hehe

    Maggie, acho que falta um pouco dessa consciência de cada dia ser único. Não é?!

    Ai, Chica, mais um querer do que um encontrar. hehe

    Nicolau, concordo da força desses dias enquanto pulsão, mas um descanso é bem vindo...Afinal, há tempo para tudo.

    Obrigada, Natalia.

    Ei, Fer, música por aqui é constante, como se minha existência dependesse dessas...

    Obrigada, Miri!

    Audrey, no decorrer da vida vamos encontrando esses abrigos, alguns imaginários, outros constantes e reais.

    Lu, há certos mistérios que funcionam como força, vigor, e de certa forma, a presença desses é como um combustivel para mim. Nos outros, nem pensam, não existem por aqui...

    Andressa, elas fazem parte da vida, e por que não ouvi-las...

    Eu também, Thais.

    Obrigada, Judite.

    Smareis, obrigada pela visita.

    Thel, é bom saber de algum destino, nem que seja o que existe enquanto desejo.hehe

    Luis, e as letras formando sentires, quereres, ou melhor, falando acerca destes...

    Dani, verdade. Abrigo é uma necessidade de qualquer ser. Tê-lo é um presente.

    Cris, enquanto houver abrigos, os furacões terão liberdade para se achegar, e sua intensidade funcionará como um passo de condução ao abrigo, e um desejo por esse.

    Obrigada, Adriana.

    ResponderExcluir