Atitude do Pensar

Atitude do Pensar

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Cativando

Recentemente, visitei o pequeno príncipe de Saint-Exupéry novamente. Isso há umas duas ou três semanas atrás. Contudo, meu ser ainda está impregnado da presença desse lindo menino de cabelos cor de sol.
A RAPOSA E O PRÍNCIPE
...
__Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste...
__Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
__Ah!desculpa, disse o principezinho. Após uma reflexão, acrescentou:
__Que quer dizer "cativar"?
__Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
__Procuro os homens, disse o principezinho. Que quer dizer "cativar"?
__Os homens, disse a raposa, têm fuzis e caçam. É bemincômodo! Criam galinhas também. É a única coisa interessante que eles fazem. Tu procuras galinhas?
__Não, disse o principezinho. Eu procuro amigos. Que quer dizer "cativar"?
__É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços...".
__Criar laços?
__Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual
a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...
__Começo a compreender, disse o principezinho...Existe uma flor...eu creio que ela me cativou...
__É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra...
__Oh! não foi na Terra, disse o principezinho.
A raposa pareceu intrigada:
__Num outro planeta?
__Sim.
__Há caçadores nesse planeta?
__Não.
__Que bom.E galinhas?
__Também não.
__Nada é perfeito, suspirou a raposa.
Mas a raposa voltou à sua idéia:
__Minha vida é monótona. Eu caço galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca ,como se fosse música. E depois,olha! Vês lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...
A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:
__Por favor...cativa-me!disse ela.
__Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
__A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
__Que é preciso fazer?perguntou o principezinho.
__É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei para o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto...
No dia seguinte o principezinho voltou.
__Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade!
[ouvindo um novo som, ele]

10 comentários:

  1. Eu li o pequeno príncipe na infância e isso já faz tempo. Gostava da ilusão daquele pequeno planeta e da ilusão de voar junto a um cometa. Mas com o passar dos dias me perdi de suas linhas e hoje confesso não conseguir me imaginar voltando a ele. Mesmo lendo agora o seu post com esse diálogo, por mais poético e justo que eu ache suas linhas não me causa vontade de voltar a suas páginas. Mas gosto da esperteza da raposa e o preço da felicidade. Humanos, oras

    bacio

    ResponderExcluir
  2. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...

    ResponderExcluir
  3. eu sempre me emociono com o pequeno principe, talvez por ele me remeter a minha adolescencia quando o li, e quando colecionei os cartoes com suas frases mais famosas, tem ainda o disco que ouvi na minha infancia ( tinha até esquecido!).
    o filme fui assistir com uma amiga tão manteiga derretida quanto eu, choramos tanto que tivemos um crise de riso e quase fomos expulsas do cimema por sermos insensiveis! rs

    ResponderExcluir
  4. Bonito... li o livro algumas 10 vezes, contava sempre pra crianças, tem as lindas mensagens que guardo em minha agenda, assisti o filme e chorei... hoje meu filho está lendo e está maravilhado com as páginas ... visitando deparei com seu lindo blog, Parabéns... estarei por aqui mais vezes, um lindo dia pra ti. bjs Giovanna

    ResponderExcluir
  5. Lindo, lindo, lindo! Amei esse teu lado doce, viu? Bjo!

    ResponderExcluir
  6. Tu me cativas...

    NOTA: nao é uma cantada (como se vc nao soubesse... ahahahhaha)

    ResponderExcluir
  7. tu me cativas...que lindo...lindo...lindo...

    um beijo com carinho e te cativando...

    Bia

    ResponderExcluir
  8. este é meu livro predileto, sempre foi, sábio em cada letra, em cada passagem, vale pra vida inteira...

    ResponderExcluir
  9. Às vezes acho Pequeno Príncipe caiu no descrédito total, por outro lado, é contraditório, nao há algo mais em voga que esperar reciprocidade dos relacionamentos.

    Um beijo Keilitia!

    ResponderExcluir
  10. Lu, havia comentado com você acerca do meu apreço por esse livro. Minha mãe foi minha maior influência para literatura e este encontrava-se entre os primeiros avistados na estante, um dos primeiros que ela comprou pensando em mim. Ele marca por esse fato, pelas palavras que sempre estão vivas, por poder encontrar refúgio e renovo nelas constantemente.

    Marcelo, todos estamos diante dessa mensagem, não é!?

    Maggie, assistia aos desenhos, assisti o filme, mas eu nunca ouvi o disco...eu quero!!!!!!

    Giovanna, as palavras encontradas nesse livro jamais morrem, germinando em outras vidas e épocas. Muito obrigada pela visita. Fique a vontade.

    Nossa, Fer, mas eu também sou doce!
    Um doce meio azedo, ácido...heheh

    Heat, até porque a fila tá grande...hehe
    Mas nossa amizade também possui o cativar! XD

    Oi, Bia. Cativando sempre...

    Concordo, Débora. Ele também está entre meus livros prediletos.

    Cris, talvez por isso eu enxergue tanta humanidade nele, na crença e descrença.

    ResponderExcluir