Atitude do Pensar

Atitude do Pensar

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Manhãs de inverno

Há certas lições que são necessárias durante toda nossa existência, pois há pessoas que irão nos magoar continuamente, pelo simples fato de serem humanas. Mas diante desse conhecimento, o que fazer perante as piores características humanas?
Bem, sempre esperei o melhor das pessoas, e por mais que eu quebre a cara e, fique momentaneamente com reservas, acabo dando novas oportunidades para as relações - nesse caso, refiro-me às amizades.
Possuo um ar inocente - como a confiança depositada pela criança nos adultos -, não sou capaz de enxergar o mal nessas relações, e exatamente por isso, as pessoas são capazes de magoar-me muito.
Aliás, enxergar todos os contornos de algo/alguém/situação, é muito característico da minha natureza. Porém, há momentos em que a dor desempenha o papel de educadora, esforçando-se por ensinar-me a agir diferente. Contudo, somente ao pensar na dor que surgirá ao agredir o meu ser, em busca dessa mudança, fico impedida de ir adiante. Nesse sentido, reflito se realmente devemos deixar de ser quem somos, para nos adaptar frente a essa luta denomidada relações sociais.
Não desejo perder essa inocência, mas preciso resguardar-me. Afinal, também não quero deixar de acreditar no paradoxo humano. E por mais que as dores causadas por este, sejam inúmeras, eles ainda são capazes de nos surpreender para o bem.

Hoje entre essas duas citações, pois o dia está cinzento e as folhas marrons, nessa manhã de inverno...

"Se a vida não tem preço, nós comportamo-nos sempre como se alguma coisa ultrapassasse, em valor, a vida humana... Mas o quê?"

"Amanheci em cólera. Não, não, o mundo não me agrada. A maioria das pessoas estão mortas e não sabem, ou estão vivas com charlatanismo. E o amor, em vez de dar, exige. E quem gosta de nós quer que sejamos alguma coisa de que eles precisam. Mentir dá remorso. E não mentir é um dom que o mundo não merece..."

[nem tudo é tristeza, ainda mantenho-me acordada para as alegrias que podem nascer de um sorvete de limão, um treino de box, o ronronar de uma gata, uma amiga preocupada com minha sensibilidade, e o novo que há em cada dia, mesmo que esse seja em formato de uma nova música sussurrada em meus ouvidos. Além disso, adoro as manhãs de inverno]

20 comentários:

  1. "E o amor em vez de dar, exige."Grande verdade, parece que mais e mais o amor vem esfriando e só cumpre conveniências...
    Humanos, o problema do mundo são eles.
    Um beijo!

    http://zapatariabr.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Esse banho frio resfria os olhos.
    Seja uma pele quente ou ressecada.
    Me surpreendo com as pessoas,
    uns se esbarrando outros pedindo licença.
    Por vezes, numa direção distante
    agradeço o embaraço da vida. Estou livre
    ,vivo pelo mundo afora.
    Cruzo os braços e durmo
    feliz comigo.
    No frio do inverno aproximo-me.

    bjao

    ResponderExcluir
  3. Podemos até chorar, mas a alegria vem de manhã. Belas palavras minha querida, ainda que doloridas.
    Bisous. Au revoir :)

    ResponderExcluir
  4. As pessoas nunca serão como queremos, elas possuem seu próprio livre arbítrio e as vezes fazem dele, péssimo uso, até como arma, contra ela e nós. No caso, penso a vida assim, cheia vida e morte, dor e alegria, e quase sempre somos livres pra viver o que queremos, bem, eu acabei por lembrar da frase do Che ""Há que endurecer-se, mas sem jamais perder a ternura". Tchau!

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde!Primeira vez que venho aqui.Lindo e verdadeiro seu texto, eu confesso que de tanto levar na cara hoje eu desconfio, desconfio se uduvidar até da mniha sombra,sempre fico com o pé atrás, e quer saber?Isso é péssimo,me tornei insegura e deconfiada demais.As pessoas que merecem realmente a nossa confiança são poucas.E temos uqe perder a mania de querer do outro mais do que ele pode nos oferecer, temos que cirar menos expectativas e aceitar o outro com todos seus defeitos e qualidades,afinal todos somos humanos.Fácil?Não é,mas precisamos tentar.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  6. Nossa,cheguei a última linha respirando fundo. Sim, as pessoas andam mortas por aí e apegadas a falsas sensações e mentem jurando dizer a verdade. Elas me cansam. Mas quando eu olho para a frente vejo o meu menino e a fé no humano se renova por alguns minutos. rs

    bacio

    Ps. Adorei seu comentário no cartas sem selo.


    Ps2. Já postei o comentário que virou post. rs

    ResponderExcluir
  7. É, menina, me vi um pouco nas suas palavras. Lidar com pessoas é sempre difícil porque cada um faz a sua escolha e nem sempre é para o bem. No entanto, não penso que agredindo a nossa “inocência” vamos impedir a mágoa ou tristeza que alguém venha nos causar. Não. Basta a agressão que vem do outro.
    Permaneça com o seu coração aberto porque a “inocência” é a maior proteção. A vida é espelho. Esteja sempre de coração aberto e nunca perca sua capacidade de se indignar porque é isso que nos faz sensível a ponto de dar outras chances.

    Meu carinho!
    http://pequenocaminho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. tem pessoas que nos magoam e depois nos surpreendem, tem pessoas que nem chegaram a viver, tem dias assim cinzentos, mas por tras das nuvens está o sol, um dia ele se faz luz novamente!

    beijo!

    ResponderExcluir
  9. É impressionante como as pessoas de pura alma se magoam fácil, isso dói, mas por mais que percebamos esse fato, a nossa natureza não muda!

    Adorei seu espaço. Pegarei um banquinho e continuarei por aqui. =D

    ResponderExcluir
  10. Mesmo na tristeza, sabemos e esperamos pela alegria...beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  11. estações


    des
    maio
    um rio de pedras
    que atormenta ornamenta
    minha alma de lesma a mesma
    a esmo estou só sem dó ou pó eu mesmo
    desvario onde várias acácias
    em silêncio sob uma chuva
    miúda de maio
    jazem

    já não há
    mais flores ou cores
    entre os ramos pois é maio
    um arrepio de frio um pio de pássaro
    um espaço vazio entre um passo ao abismo
    o istmo passado o ninho esfarrapado
    o arame farpado do meu coração
    a cor do céu em combustão
    a flor-de-maio
    é fria

    caio
    no labirinto
    do poço onde sinto e ouço
    estrias n'água minhas pálpebras
    vazias estão as estrelas e são elas entre
    os elos destes dédalos os halos
    são tão belos nos cabelos
    nos capins carmins
    odor de jasmim
    em mim


    soletro
    o nome árido
    desventro o vento úmido
    onde as letras são escarlates escritas
    como um fio de lâmina explícita
    a escorrer um rio que cresce
    e ainda nem chegamos
    a ver o arco-íris
    em maio

    é frio
    e mais que
    todos frios outonais
    escuto omissos risos
    dentro em mim solertes segredos
    sentidos flertes urdidos nós de sais
    e vais assim mesmo de soslaio
    sem pedir teu perdão
    pois não é maio
    é abril

    ResponderExcluir
  12. É o paradoxo humano sempre.
    Mas mesmo que isso faça com que eu esteja só, eu ainda prefiro ser eu mesma, sem mentiras, sem máscaras. Sim, creio que me reservo e às vezes até muito. Minha reserva se esvai apenas nos extremos da humanidade: as crianças e os idosos.
    São seres especiais para mim, que te dão abertamente o que tem com a maior sinceridade possível. Mas como convivo mais com o intervalo entre eles, vou seguindo a estrada de tijolos amarelos, aguardando que ao final dela, haja algo bem melhor me aguardando.
    Sim, as manhãs de inverno são melancólicas e ao mesmo tempo lindas.
    Bisous!

    ResponderExcluir
  13. Como eu te disse. Fico preocupada quando ficas triste. Tua sensibilidade é aguçada demais.

    ResponderExcluir
  14. Eu aguento muito de quem gosto e bem pouco dos que me são indiferente.

    Então geralmente as pessoas que gostam conseguem me magoar mais vezes, porque dou sempre uma segunda, uma terceira oportunidade.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  15. O que vou dizer não serve nem um pouco de consolo: sou infeliz no jogo, no amor e com amizades(rs). Definitivamente, não me dou bem com as pessoas, salvo algumas exceções.

    ResponderExcluir
  16. Já foi dito que quanto mais se conhece o ser humano mais se gosta de cachorro.
    Pois acho uma frase bem derradeira pra quem vive entre humanos, e dá a impressão de que já desistiu totalmente de conviver, sendo que o ideal do ser humano é uma planta, sempre plantar, plantar, canse o que cansar.

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Sua natureza faz com que os amigos que te amem, queiram te colocar em uma bolha de vidro, com receio do que as pessoas possam fazer contigo!!

    Confesso que lendo seus textos, sinto isso em relação a ti!!!

    Sou muito cuidadosa com as pessoas que eu amo... Gosto de proteger...

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Tenho essa sensação constantemente, Zapataria.

    Não sei, André, viver em sociedade é quase impossível de ser livre...

    Natalia, sabe essa palavra: A alegria vem pela amnhã me acompanha desde que sou pequena?!rsrs

    Nicolau, em geral, minha crença nesse paradoxo humano serve como esperança e proteção, mas não seis e quero endurecer.

    Olá, Flor de Lótus, concordo com você, esperamos muito do outro, mas sinceramente, em geral espero tanto o bem quanto o mal, mas mesmo assim quebro a cara, deve ser essa sensibilidade tamanha...hehe
    Seja bem vinda, tá!?

    Lu, demorei tanto para responder aos comentários q as coisas caminharam por aqui...mas me identifico com você em relação aos humanos...
    Quero muito ir, mas pelo visto minhas viagens estão paralisadas.
    Adorei o post!!!

    Audrey, um dos desafios das relações sociais e se envolver sem se perder. Difícil, ams possível...

    Maggie, para dias de sombras há os ipês!hehe

    Miri, fique a vontade, adoro barcos, vou me juntar na viagem e conhecer sua habitação.

    Chica, isso sempre...

    Luiz, fiquei a admirar abril e maio, porém restou-me imaginar agosto...

    Letícia, partilho tanto dessa sua colocação, mas confesso que há momentos em que a caminhada exige a presença de leões, espantalhos, homens de lata e não apenas sapatos vermelhos...

    Heat, querida (sabe do tamanho disso, né...), fico feliz pelo seu cuidado e quando disse sobre a amiga era você. Uma das minhas alegrias desse universo da blog-esfera.

    Dama, as pessoas que mais nos envolvemos são as que nos conhece. E de certa forma estão frente a nossa fragilidade, portanto sempre irão nos magoar mais. Porém, tenho essa mania de esperar o bem e o mal e, portanto, quando espero o bem, surge o mal...

    Roderick, uma confissão: Tenho me sentindo uma pessoa mais sociável. Será sorte?hehe

    Cris, amo animais, as vezes mais do que humanos (a Woody quem o diga), mas ainda consigo admirar os humanos (as vezes e alguns). Bju com e sem rima.hehe

    Suzi, é estranho, pois mesmo me sentindo frágil ainda prefiro o crescimento que surge da troca social. Linda você, viu!

    ResponderExcluir