Atitude do Pensar

Atitude do Pensar

terça-feira, 29 de março de 2011

Freud x Saramago



Porque não adianta apenas contestar. Discordar.

Mas sim, abrir novas expectativas...

Certa vez, Freud disse: “Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro.”

Analisando de forma suscinta, posso verificar a veracidade contida nessa frase. Pois é exatamente o que a sociedade líquida espera de nós - que sejamos super heróis.

E nesse sentido, somos obrigados a viver como se fôssemos de ferro.

No entanto, e os desviantes, onde se encontram aqui?

Se encontram dentro do que Saramago já disse: "Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia."

E é por isso que ainda prefiro o sentir. Cada um deles. Até mesmo a dor.

E não será isso que me distingue dos não racionais???

O que me faz sentir viva??? Humana - em sua plenitude???

11 comentários:

  1. É a sua atitude do pensar, menina!

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá, vc acabou por fazer um comentário, e no caso eu estava terminando a poesia, mas na verdade não mudou muito, mas te falo uma coisa pegando onda aqui em seu texto publicado.

    'Porque não adianta apenas contestar. Discordar.
    Mas sim, abrir novas expectativas'

    Quando faço a poesia é com este intuito, de provocar, contestar e discordar, mas as expectativas não estão no poema, virão nas opinões, adoro o conflito e procuro trabalhar isso, vc sempre tem comentado e creio que já reparou o quanto gosto das contradições. Tchau! Valeu por sempre colar em meu blog, também sempre colo por aqui.

    ResponderExcluir
  3. Prefiro de digladiar com meus próprios sentimentos, do que mostrar uma falsa superioridade sendo indiferente a tudo.

    grande beijo moça

    obrigada pela visita :)

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, querida amiga Keila.

    Eu prefiro a frase do Saramago. Prefiro sentir.
    Ou melhor: Mesmo que eu não quisesse, é assim que sou.

    Um grande abraço.
    Tenha um lindo dia, cheio de paz e amor.

    ResponderExcluir
  5. a cena : uma casa semi destruida, seu carro recem comprado e sem seguro em baixo dos escombros. me perguntam: você não quer tomar um calmante?

    - Não, eu quero sentir tudo, tudo que tenho direito.

    ResponderExcluir
  6. "Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia."
    essa frase é maravilhosa, adorei seu blog, estou seguindo, me segue tambem?!
    beijinhos colloridos
    http://wwwparedescolloridas.blogspot.com/
    http://meumundopinknaotaoperfeitoassim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Há os que gostam de ser duros como ferros, e também existem os de coração mole. O xis da questão é que se saiba pra que se vive e pelo que se luta. Pra que não soframos tanto por nada.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  8. Somos o nosso melhor...beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  9. e ainda bem que sangro, e ainda bem que quando sangro é muito, ao ponto de desaguar no mar das coisas que vão e vem. se há dor e eu fujo a dor me domina e me impede a cura. por isso, se há dor eu a sinto completamente até não restar um pingo de sangue.

    Keila, que bom podermos trocar letras sobre aquilo que nossos olhos enxergam...

    ResponderExcluir
  10. Keila ,
    o ferro enferruja e não nos deixa evoluir .
    É preferivel a dor a nada sentir .
    Quando estamos centrados em ser fortes , perdemos muito do belo que nos rodeia .
    Prefiro pagar a factura e ir " crescendo " ...

    Um beijo

    ResponderExcluir
  11. É blue, mais ou menos por aí...rsrs
    Bjin

    Nicolau, tanto gosto de contestar. Na vida acadêmica, em geral sou a mais contrária a várias teses.
    Assim, como não sou a favor de que nossas palavras, enquanto formadores de opiniões, sejam absolutas; não foi isso que quis dizer - espero que fique claro.
    Mas também, não acho legal que apenas discordemos - mesmo isso sendo uma passo muito largo.
    Enquanto educadora acredito que, devemos permitir que o outro faça sua conclusão, incitando-o a alcança-lo por meio do seu próprio raciocínio.
    Porém, a momentos em que a resposta - nossa opinião para ela -, deve ser apresentada.
    Abraços

    Renata, confesso que há momento que gostaria de ser indiferente, pois sentir também nos sulga. Mas esse tipo de desejo para rapidamente. Afinal, o sentir me lembra que sou humana e que posso ser uma boa humana.
    Beiju

    Querida Amapola,
    Sentir sempre. Quem dera se todos fossem assim...o mudo seria mais repleto de seres humanos de verdade.
    Abraços

    Lady, isso foi forte. Mas já passei por momentos fortes com minha família: perder a casa. O carro. O emprego. E ter que viver do favr dos amigos. Não sei se nessa época escolheria o sentir.
    Beijus

    Obrigada, Fabiana.
    Já estou lá. Tentanto levar a vida de forma mais colorida.
    Beijocas

    Léo, me fez lembrar do que já dissera Cazuza: "...ideologia, eu preciso de uma para viver..."
    Pena que atualmente poucos a possuem.
    Brigadin pelo comentário.
    Bju

    Lisette, tentamos ser o nosso melhor. E as vezes nos cobramos tanto para ser esse melhor que dói. Principalmente ao saber que ainda é tão pouco...
    Bjin

    Débora, é bom estarmos juntas aqui. Se na PUC já discutimos algumas temáticas, aqui construiremos mais pontes.
    Bjin

    Oi Maria, é verdade. E eu não quero perder o belo da vida. Nunca. Que nossos olhos sejam sempre capazes de enxergar com a alma.
    Beiju

    K.

    ResponderExcluir